11 marzo 2008

Foro De São Paulo e as articulações neo-regressivas totalitarias

Por Rivadavia Rosa

A DEFESA DO SISTEMA DEMOCRATICO – como imperativo da liberdade - impõe-se contra todos os totalitarismos (nazismo, socialismo/comunismo, maoísmo, ditaduras militares, sátrapa/aitolá religioso, castrismo, chavismo e todos os ismos de DNA neo-regressivo totalitário.

O fracasso do coletivismo utópico no século passado por considerar o ser humano como um instrumento do Estado-partido (deus-estado) e não uma criatura de Deus, com individualidade própria, com direitos inerentes a sua condição humana – ‘ressuscita mediante a falsificação da história que ‘enterrou’ o nazismo (nacional-socialismo), mas ocultou criminosamente os crimes e a tragédia do socialismo-comunismo cuja dimensão foi muito maior em barbárie e degradação provocados pela ação (des)humana da ideologia patológica.

Os crimes em massa do socialismo-comunismo (assassinato de homens, mulheres e crianças), atingiu a espantosa cifra de cerca de 100 milhões de pessoas (no Holocausto foram mortos de 5 a 6 milhões de judeus, com as demais pessoas soma cerca de 25 milhões). Os crimes comunistas atingiram um terço da espécie humana em quatro continentes.

Hoje os socialista-comunistas se apresentam descaradamente como ‘politicamente corretos’ em mais uma fraude insidiosamente introduzida pela patologia lingüística da novilíngua.

Trata-se da ideologia neo-regressiva totalitária responsável pela maior tragédia do século XX provocada pela ação (des) humana, atualmente ressuscitada pelo famigerado Foro de São Paulo, rede (a) narco esquerdista que reúne desde 1990, desde partidos de esquerda da América Latina, até as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), em cuja GÊNESE CONSTITUTIVA encontra-se o honrado senhor Luiz Inácio Lula da Silva, atual presidente do Brasil (‘que nada sabe, nada viu, nada ouviu’), cujo histórico a seguir extraído do site do próprio Foro, registra:

“Importantes líderes Latinoamericanos de izquierda, se reunieron en muchas ocasiones para buscar un mecanismo de encuentro, debate y acción ante la embestida neo liberal y en 1990 se concreta el nacimiento de un importante espacio de debate y reflexión conjunta sobre los retos a enfrentar ante el imperio y sus políticas. A este encuentro se le llamó “Foro de Sao Paulo”, ya que fue en Sao Paulo, Brasil donde este se realizó. El FMLN es uno de los fundadores de dicho espacio junto al Partido de los Trabajadores de Brasil, el Partido Comunista de Cuba, Partido Comunista de Chile, Argentina, entre otros.

En el primer foro fueron invitadas 48 organizaciones, partidos y frentes de izquierda de 13 países de América Latina y El Caribe, el foro era inédito por su amplitud y por la participación de las mas diversas corrientes de izquierda, animadas por ideales socialistas, democráticos, populares y antiimperialistas. (forosaopaulo.fmln.org.sv/historia.htm).

Outros registros não deixam dúvida sobre sua gênese constitutiva criminosa:

“O Foro nasceu em julho de 90, mas foi concebido em janeiro de 89, em reunião de cúpula do PC de Cuba e PT do Brasil , onde ficou estabelecido que, se Lula não ganhasse as eleições em novembro de 89, deveria ser formada uma organização para coordenar toda a esquerda continental, cabendo a Lula a liderança do processo. O projeto principal era “conquistar, na AL, uma espécie de contrapartida, do que já se antevia, nessa reunião, ou seja, o que a URSS iria perder o leste europeu”. Com a vitória de Collor, foi organizada a primeira reunião da esquerda continental no Hotel Danúbio em SP. Sua criação, entretanto, foi precedida de algumas visitas estratégicas a Itaici, sede dos encontros da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), articuladas por Frei Betto, levando a cúpula do Partido Comunista Cubano, que viera à fundação do Foro, a uma reunião com o Cardeal Evaristo Arns, da qual veio a ser enviada carta de simpatia ao ditador Fidel Castro. Compareceram representantes de 48 partidos comunistas e grupos terroristas convidados por Marco Aurélio Garcia, a mando de Fidel. Estava fundado o Foro de São Paulo organização que desde então coordena toda a esquerda na região. Os co-Presidentes são Fidel Castro e Lula, e Garcia é o Secretário Executivo e ocupa um dos principais gabinetes vizinhos a Lula no Palácio do Planalto, de onde controla e coordena todos os grupos guerrilheiros e terroristas desde o Rio Grande até a Patagônia.”
(in Heitor De Paola:
www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=3900)

“Depois da queda do Muro de Berlim em 1989 e da derrubada do comunismo na ex-União Soviética, Fidel Castro decidiu substituir o apoio que recebia do Bloco Oriental pelo de uma transnacional latino-americana.

Aproveitando o poder parlamentar que tinha o Partido dos Trabalhadores (PT) no Brasil, Fidel Castro convocou em 1990, junto com Luis Inácio “Lula” da Silva, todos os grupos guerrilheiros da América Latina a uma reunião na cidade de São Paulo. Além do próprio PT e do Partido Comunista de Cuba, acudiram ao chamado o Exército de Libertação Nacional (ELN) e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC); a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) da Nicarágua; a União Revolucionária Nacional da Guatemala (URNG); a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN) de El Salvador; o Partido da Revolução Democrática (PRD) do México; e várias dezenas mais de grupos guerrilheiros e partidos de esquerda da região que iam se juntando ao longo dos anos, como o Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) do México. Alí decidiram formar uma organização que se auto-denominou Foro de São Paulo.

Para dirigi-lo centralizadamente, criaram um Estado Maior civil, dirigido por Fidel Castro, Lula, Tomás Borge e Frei Betto, entre outros, e um Estado Maior militar, comandado também pelo próprio Fidel Castro, o líder sandinista Daniel Ortega, e no qual tem um papel importante o argentino Enrique Gorriarán Merlo. Gorriarán Merlo foi fundador do Exército Revolucionário do Povo (ERP) e posteriormente do Movimento Todos pela Pátria (MTP). Gorriarán Merlo é o autor do ataque terrorista de janeiro de 1989 ao regimento de infantaria La Tablada, em Buenos Aires, no qual morreram 39 pessoas, e foi quem encabeçou a esquadra que assassinou Anastasio Somoza em Assunção, Paraguai, em setembro de 1980. Gorriarán Merlo também organizou a maquinaria militar do Movimento Revolucionário Tupac Amaru (MRTA), o mesmo que há três anos e meio tomou a residência do embaixador japonês em Lima”. (In Alejandro Peña Esclusa 16/10/2002 - © 2002 MidiaSemMascara.org).

O novo surto da crônica síndrome da psicopatologia esquizofrênica e criminosa inspirada na ideologia neo-regressista totalitária (revolução socialista) – autoproclamada ‘progressista, íntegra, moderna, igualitária, libertadora…’, mas na realidade responsável pela maior barbárie do século passado. Essas pseudos ‘verdades progressistas pregressas’ – diante da realidade mundial, não passam de mais um foco de resistência inspirada pelo sanguinário ditador cubano, sob a ‘nova direção’ ideológica do Foro de São Paulo para conter o pensamento, a inteligência, o desenvolvimento e a democracia latino-americana, erigindo o ‘bode expiatório de sempre’ (o neoliberalismo, o capitalismo, Estados Unidos, ‘elites’, e todos os que são contra o MONOPÓLIO DA ‘ÉTICA ESQUERDISTA’) para encobrir a corrupção, a incompetência, ineficiência e ineficácia dos governos esquerdistas.

NO ARTIGO ANEXO – “Foro de São Paulo e Diálogo Interamericano: pacto firmado em 1993” de José Carlos Graça Wagner, de 25 de junho de 2005 - temos uma ampla e abrangente análise da gênese constitutiva do Foro de São Paulo e sua aliança com o Diálogo Interamericano – fundado em 1982, em Washington, por iniciativa do banqueiro David Rockefeller – que tem dentre seus objetivos o ‘controle militar do continente latino americano’, cujas Forças Armadas teriam como missão a execução do policiamento interno.

No hay comentarios :

Publicar un comentario en la entrada

Exprésate libremente.
En este blog no se permiten comentarios de personas anónimas.